O Drible do Demônio

Por Geraldo Dias de Andrade

Por Geraldo Dias de Andrade 17/11/2021 - 14:08 hs

Não peregrino pelas vias do agnosticismo. Não sou ateu e acredito no Ser Supremo, O Arquiteto do Universo. O agnóstico não aceita a certeza da existência de Deus, achando impossível a afirmação.

Pandemia é existente doença infecciosa, disseminada mundialmente, espalhada entre as populações; arte do anjo maligno, que dribla e brinca de cabra-cega com a ciência, aproveitando a fraqueza ética e moral da humanidade egocêntrica, desumana e intensamente atroz.

Não se trata de profecia, predição do futuro, nem inspiração divina, bem como de agouro. Sabemos que a ciência é um conhecimento organizado, conforme o filósofo Immanuel Kant. Até quando é uma realidade absoluta? Metafísica responde: No Aristotelismo, subdivisão fundamental da Filosofia, caracterizada pela investigação das realidades que transcendem a experiência sensível.

As tentações demoníacas podem alterar os princípios da razão, a título de enganar, introduzindo linhagens do Coronavírus e cepadas fúnebres, principalmente quando a humanidade é rebelde, má, ausente à fé cristã, deleitando-se  na soberbia  exagerada detestando a caridade e espírito fraternal, egoísta sem pensar na divisão do pão. É o que demonstra o empirismo, as verdades conhecidas, exemplos cotidianos.

A Igreja Católica não desconhece a existência do anjo mau, capaz de penetrar na razão humana, causando estripulias diabólicas.

Lúcifer era um anjo de luz junto a Deus, vivendo no Paraíso, fora expulso, mas continua perturbando a humanidade, com brecha propositada para se encarnar, igualmente a Covid-19. 

O corpo humano é depositário de vacinas contra sarampo, varíola, aids, etc; agora, vacina contra o Coronavírus. Doenças não enviadas pelo Ser Supremo, sim, por forças do anjo maligno. As doenças desaparecem e ressurgem, quando se espera que o mal fora extinto. As artimanhas do demo. Enquanto a humanidade não for dotada de uma espiritualidade de fé cristã e fratena, não faltarão vírus letais.

Permanecendo a maldade humana, guerras, bombas assassinas, ceifando a humanidade, crianças inocentes, os vírus satânicos jamais deixarão de existir.

A sociedade precisa-se curvar diante da humildade, sepultar a vaidade, egoísmo bestial, animalesco, arrogância e deixar a avidez de comer eternamente o pão de alguém. Uma sociedade de orgulho, posuda, malfeitora, que procura desconhecer o zunir da tampa sepulcral, para onde vão os pobres, ricos, senhores e suas excelências.

Não tenho dúvida quanto a existência do Arquiteto do Universo. Não comungo com a ausência de crença divina. Creio! Sigo a fé da salvação!

Gostaria de ser um cognoscente, com a capacidade profunda de conhecer e assimilar com grandeza, o porquê do Papa, líder mundial da Igreja Católica Apostólica Romana, Bispo de Roma, sendo representante de Cristo, não informa a humanidade se já recebera um diminuto sinal celestial de contenção das sanhas do maligno Covid-19? (Desculpem-me das minhas possíveis blasfêmias se houve insulto à divindade ou a religião).

Segundo o Cristianismo, o anjo mau que se rebelou contra Deus, persiste em manter a humanidade na perdição do mal. A Igreja Católica afirma a tentação do adversário principal de Deus, o tinhoso!

A Igreja Católica, com a intercessão do Santo Padre, bem que poderia recorrer ao Exorcismo Maior, de acordo com os rituais litúrgicos, pedindo a Jesus Cristo, a libertação ou proteção da humanidade contra a ação do Demônio. Esse ritual realizado por alguns padres demonólogos, afastando, portanto, os dribles, fintas e a possessão demoníaca que se chama Coronavírus! O sujo faz que  vai  embora, se mascara, voltando com outra “identidade” driblando sempre a ciência e a humanidade.

Para se  obter o perdão, a cura, afastando o anjo trevoso, de vez, que toda a humanidade,  que é pecadora,  incluindo o Papa, Arcebispos, Biapos, padres e freiras, que  fiquem de joelhos, suplicando de maneira intensa, em oração, humilde, rogando ao Criador, renunciando, também, o orgulho, comportamento vil, ambição e ódio estampados, ainda, na humanidade, homicidas, fraticidas, parricidas, este, que matam  o pai a mãe ou qualquer ascendente,  parecendo que o Ser Supremo tenha “cruzado os braços” diante de tanta fúria humana, deixando  o demo mandando, até que cesse o rancor, a usura e a sangria, etc, esperando que a humanidade peça o perdão, reconhecendo o Onipotente, este, quem pode frear as armaduras do Demônio que se camufla, dissimula em aparência enganadora, também, em  Coronavírus.

Uma humanidade de avarentos, grudados nos bens materiais, como se fosse a própria alma, comete um dos sete pecados capitais, que é a avareza, conforme afirma o Cristianismo. Jesus Cristo – o Bom Pastor – deve descer para tomar conta da Sua Igreja, cujas ovelhas estão fora da postura ordenada.

Estamos vivendo um desafio para ciência, que nem tudo ela tem resposta. A ciência não se considera proprietária da verdade absoluta, todas as verdades, de acordo com o raciocínio lógico, crítico, podem se tornar em pedaços, quebradas, sendo o bastante um pingo de evidência.

Não se espera da ciência uma verdade consumada, sem restrição, absoluta na essência do termo. (Prof. Alberto Ricardo Prass). Toda verdade é discutível. O objetivo da ciência não é produzir verdade indiscutível, pois, a dúvida sempre existe. (Bruno Latour).

As mutações têm sido incessantes, sendo dribles do Demônio, não deixando o humano em paz, devido ao peso dos pecados capitais que precedem o Cristianismo. Rogar ao Altíssimo toda a humanidade, para ver se os pecados serão perdoados.

Está provado que a ciência não tem dado uma resposta irretorquível, convincente para a humanidade, concernente ao Coronavírus. As incertezas são evidentes, causando pânico, nervosismo e depressão.

Sabemos que a Religião se afastou do Estado, a este cabe os estudos da ciência, porém, esta é questionável. Está havendo insegurança, quanto a sua resposta precisa sobre a Covid-19.

A ajuda da Espiritualidade para resposta; fato é que ela pertence à razão da pureza, transcende, indo além do normal. Um deus transcende o universo e o conhecimento, estando além do conhecimento humano. O transcendente é o que está além do conhecimento concreto, - homens da ciência -  tomando como base conclusões metódicas. Portanto, a espiritualidade procura conectar com algo de dimensão maior que si próprio.

* * *